Olá mundo

Pensei uma duzentas vezes em como começar esse post. Em dizer como é difícil ser Samantha, em como tudo é tão complicado e blábláblá.
Mas esta não é a razão para, depois de dez anos (será que não tem mais tempo?) sem um blog pessoal, sem dizer as coisas que sinto ou que penso tem feito falta. Pelo menos para mim.
E é por isto que resolvi ter um blog de novo.

Sabe, ontem fui na formatura da minha irmã (sim, agora tenho uma irmã – a vida me deu mais isso de presente) e foi tudo tão mágico.
Por um lado me arrependi de não ter feito colação de grau com a minha turma, mas ai, a época de resolver isso ano passado não foi uma das melhores para mim. Mas eu tive o meu. E foi legal do mesmo jeito.
Enfim, encontrei uma pessoa por lá que tinha, o que, um ano que não o via? Deve ser mais ou menos isso. E chegando em casa, comecei a pensar sobre ele com sua namorada.
Foi estranho ver os dois juntos porque conheço-o a uns quatro ano e NUNCA tinha os visto juntos. Sim, já a vi algumas vezes nos locais mais inusitados do mundo, mas juntos, nunca.
E sabe, o mais engraçado nem foi isso, foi começar a pensar o que tenho feito de errado.
Nesse tempo (quatro anos) já tive um rolo – do tipo nada muito sério (pelo menos pra mim) – e um namoro. E os dois? Continuam juntos.
Por mais calhorda que ele seja, os dois ainda estão juntos.
E essa foi a minha pontinha de inveja. Porque pra mim não?
Faz um ano e pouco que estou sozinha de novo e, por mais que não queira, esse períodos pra mim são motivos de reflexão. Problema que eu nunca aprendo. Não sei porque, mas não aprendo.
Sempre uso a desculpa do motivo de estar sozinha é que estou refletindo, mas cá entre nós, eu não estou. Eu nunca estou. Mas essa é a Samantha. E eu não gosto de ser essa Samantha.
Preciso de um rumo pra mim. Para minha vida. Para minhas decisões. Mas por enquanto, as coisas ficarão dessa maneira.
E obrigada por ter lido.

E bem vinda de volta Samantha.

Anúncios