Então…

Sabe aqueles dias que você está meio sei lá? Que as coisas não tem sentido e nem fazem diferença?
Ontem, lendo o blog da Dani (link ao lado!!!), vi que eu não sou tão ET quanto eu achava que era. Vi o quanto o sentimento das pessoas é parecido.
As vezes me sinto como um pontinho no meio da multidão e não sei o que fazer. Parece que só eu tenho sentimentos estranhos…
A Dani comentou no blog dela algumas coisas das quais estou passando e, conversando com ela pelo Whatsapp, cheguei algumas conclusões sozinha (logicamente com ajuda do blog dela!)… Tal como: porque me cobro tanto? Porque acho que DEVO ser melhor? Porque acho que DEVO algo pra sociedade? Preciso aprender a parar de me preocupar com coisas tão bobas… Preciso aprender a levar a vida mais leve e sem tantas cobranças de mim para eu mesma.
Sempre fui autocrítica (por demais!!!), mas com isso, acabo me sabotando…

Legal é começar a tirar essas conclusões e chegar nesse ponto sozinha (?).
Autocrítica é sempre bom, mas tudo que é em excesso, sempre faz mal…

P.S.: Lembrei que meu blog é a melhor terapia que posso ter. Vou tentar escrever todos os dias e, assim, colocar meus conceitos e ideias para fora e buscar soluções para as coisas que me afligem!

“Nem mesmo o tédio me surpreende mais”

Ultimamente tenho escutado mais Pitty que o normal. E nem sei o quanto isso possa ser considerado, porque eu praticamente não escuto música nacional.
Mas a Pitty tem falado tanto de mim, tanto de como eu sou, tanto de como eu me sinto… Como pode? Sempre me identifiquei com ela, mas nunca tinha me tocado tanto…
Ihhhhhhhhhh… Estou sentimental demais!!! Volta pra casinha Samantha!!! hahaha

Tudo bem com vocês? Faz tempo né? Antes que falem, não, nem estou tão mal assim. Só senti falta de escrever…
So…

“Querido diário”,
Eu estou bem. As coisas, só pra variar, não tem caminhado do jeito que eu acho que deveriam ir, mas tenho tentado ver de uma maneira positiva: aprender a ser paciente, a essa altura da vida, tem me ensinado muitas coisas.
Cortar coisas e pessoas tem me feito um bem danado. Algumas pessoas tem voltado a fazer parte da minha vida e isso tem sido realmente muito importante.
Outra coisa que preciso fazer: parar de falar e escrever advérbios de modo de intensidade. Tem sido tão eu!

Devaneios. Como sempre. Mas estou viva e bem.
É, Pitty, eu também sou uma contradição 😉

Feliz Aniversário.

O mês de abril começa. E eu fico pensando. Hoje meu pai faria 64 anos de vida. 

Faz 2 anos e 4 meses que ele não está mais no mundo, mas não há um único dia que eu não penso nele.

Lembro de coisas banais, como ele me ensinando a usar o DOS, de ter me dado um computador preto, com a letra verde e me ensiando usar aquilo (se eu tinha uns 10, 12 ano era muito), de ter jogado um morcego que entrou pela janela do nosso apartamento enquanto brincávamos de computador (tá, não sei se um gravador e um televisor pode ser chamado de computador, mas eu já achava demais), de ter me dado o meu primeiro celular, de tirar dúvidas de cálculo I pelo telefone (siiim, ele me ajudava a resolver as questões por telefone haha era tão legal), de conversar de música comigo, de mostrar os vinis que ele tinha (os quais eu realmente quis ficar e não pretendo me livrar deles nunca), de mostrar um novo joguinho que ele comprou, de me ensinar a usar o irc (olha Samantha, descobri um novo programa que se usa pra bate papo – acho que isso foi em 1997/1998)…

Tenho saudades de simplesmente pegar o telefone e conversar com você pai. Agora é só assim: nos meus pensamentos, nos meus choros, no meu blog…

Vou sentir uma saudade eterna de você. Inclusive das nossas brigas. Eu sei que não fiz o melhor, mas tentei. Juro que tentei.

Feliz 64 anos pai. Feliz aniversário. Te amo.

Angústia

Esse final de semana vi meus tios e minha vó.
Meu tio mais velho está a cara do meu pai!!! Tomei cada susto… hehe
Sabe, estou morrendo de saudades do meu pai. Chorei tanto… Chorei na ida para o sítio do meu, na vinda embora pra Curitiba.
Porque, sabe, apesar de tudo ele era meu pai e eu gostava dele.
Agora vem aquela sensação de angústia, tristeza total. É uma coisa tãoooo ruim! Nem sei como me livrar disso. Não tenho mais sono e nem vontade de comer. A única vontade é de ficar olhando pro nada, analisando o nada e pensando no nada.
Eu sei que preciso reagir e tomar um “Acorda Alice!”, mas não sei nem por onde começar.
Essa é uma sensação tão ruim…

E bom dia pra você que me lê.

Então é Natal…

Hoje, ao abrir meu e-mail, recebo um comentário de alguém (porque não sei o nome então vai sem identificação), porque tinha sumido. Bom, primeiro porque realmente esqueciiiiiii disso daqui!!! hahaha JURO!
Segundo, porque a minha vida anda TÃO corrida que nem tinha tempo.

Seis meses depois (ou mais), minha vida deu uma boa mudada. Em todos os sentidos. Para o meu amiguinho anônimo, estou sim trabalhando na área, agora ganhando um pouco melhor e sendo BEM mais valorizada.
No quesito emocional, dezembro é sempre super complicado pra mim. Começa o mês, meu coração aperta e sinto mais falta do meu pai do que nunca, mas chega lá pelo dia 15, as coisas melhoram.
No quesito amoroso, bom, isso é melhor deixar pra lá.

No mais, tudo bem. Estou na semana de recesso forense. Curtindo uma praia, aproveitando os amigos e a família…
Minha única tristeza de Curitiba é não ter praia, não poder caminhar na areia… Mas também, a gente não pode ter tudo não é?

Boa noite de Natal para todos!

Analisando o que não se pode ser analisado…

Sabe, conversando com uma amiga de infância, a Bethina, vejo como sou razão. Como eu sigo bem mais o que a cabeça diz do que o coração fala.
Logicamente, eu sigo muita coisa que meu coração manda, como voltar a morar em Curitiba ou falar novamente com o Marlon… Mas muita coisa que eu faço, que eu digo, é a cabeça que manda fazer as coisas.
Sempre achei que eu fosse impulsiva, mas analisando as coisas que tenho feito, eu penso bem mais do que achava, antes de fazer qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo.
A emoção tem batido forte esses dias. Saudades de casa, das comodidades… Mas tenho que ser forte, e essa é a razão batendo.
Tenho que só agradecer as pessoas que me “bateram” durante a vida, porque elas me ajudaram a me moldar. Querendo ou não querendo.
E só analiso uma coisa: eu. Sou o ser mais indecifrável que conheço. O mais inconstante que conheço. E o mais fácil de se enganar. Ou não.

E cadê o sono?

Sempre tive dificuldade para dormir quando tive um dia muito estressante. Se vou pra cama cedo, fico rolando igual a bife na chapa.
Hoje é um desses dias.
Ontem (aliás, segunda) fui dormir quase 2 da matina porque tinha que trabalhar. Hoje (aliás, ontem) acordo com o meu estômago fazendo voltas em todos os sentidos. Meu café da manhã foi um copo de Coca-cola. Meu almoço iogurte batido com uma maça.
Pelo menos melhorou. Maaaaaaaaaaaas, depois que passou a dor, veio aquela senhora fome. E pra ajudar, passei a tarde inteira em audiência. Legal né?
Agora to aqui, sem sono, cansada, pensando que preciso deitar, porque amanhã (aliás, hoje) é SÓ quarta e a semana mal tá no meio…

No mais, está tudo ok.
Saudades matando de Floripa. Até de coisas que eu achei que não fosse sentir falta. Pelo menos uma coisa boa realmente aconteceu. Aliás, está acontecendo.
Tô me sentindo uma adolescente apaixonada, mas tem coisa melhor? Só esperar pra não atropelar as coisas. Mas estou beeeeeem feliz.
Só posso dizer que AMO morar em Curitiba.