Chorona

Sou declaradamente uma pessoa chorona.

Choro com comercial, desenho animado, filme, cenas de tv…

Nada me toca mais do que histórias verídicas. Aquela pessoa que tem uma doença, aquele cara que foi vender suco no Centro da cidade pra comprar um botijão de gás, um discurso de um avô numa mesa de jantar para a família toda…

Todas essas descrições realmente aconteceram.

Mas o que mais odeio é ser chorona em coisas que eu deveria reagir.

Há alguns meses, três pessoas no meu local de trabalho resolveram me torrar o saco. Passavam o dia rindo de mim. Mas não era só comigo. Era eu e um colega.

Com o tempo, foi a senhorinha da limpeza.

Depois de um tempo, cheguei a conclusão que uma era realmente do mal. A personificação do mal. Sério, já conheci gente ruim, mas como aquela garota, tá pra nascer.

A outra, era só ruim. E uma idiota.

Já a terceira, é só uma imbecil maria-vai-com-as-outras sem opinião.

Tentaram me prejudicar tanto, mais tanto, que o resultado foi o melhor: tive uma promoção no trabalho. Juro.

E porque? Por nunca ter reagido. Por nunca ter dito nada pra elas. Por deixar elas “cagarem” em cima da minha cabeça.

Por um lado, eu nunca ter reagido foi bom. A promoção logo veio. Quer dizer, um ano depois. Mas veio.

Meu chefe sempre me fala que elas têm inveja de mim. Mas inveja do que? Meu cabelo caiu tanto nos últimos anos que tenho falhas na cabeça, estou a cima do peso e não me considero uma pessoa bonita… Hahaha

Minha reação para elas? Orar. Orar pra essas criaturas irem cuidar da própria vida e deixar a minha em paz.

E sim, isso ainda me incomoda. Foi um ano disso. Demora pra superar isso. Um dia após o outro.

Anúncios