Nem mesmo o tédio me surpreende mais

Eu passo o dia inteiro cantando mentalmente Déjà Vu, da Pitty.
Não sei porque essa música se aplica a tantas coisas que eu sinto e passo…
Essa semana estou incrivelmente bem, mesmo passando pelos mesmos perrengues de sempre. Acho que comecei a parar de dramatizar tudo. Isso já é um bom caminho. Mas, principalmente, comecei a parar de criar expectativa das coisas.
Continuo com os mesmos sentimentos e pensamentos, mas resolvi criar raízes e colocar os pés no chão. Mas isso não quer dizer que irei ficar parada esperando as coisas caírem no meu colo.

Hoje escutei uma definição engraçada da minha mãe sobre a minha avó e conviver com a família dela: parecia que vivia numa prisão e queria se libertar daquilo.
Simplesmente definiu o que eu sinto em morar com ela e o Max…
Problema que eu sei que não posso me expressar. Dizer o que realmente sinto e penso. Porque simplesmente sei da confusão que vai dar e não vale o esforço.
Acho que foi a partir dessa constatação que comecei a ficar quieta e não falar mais as coisas.

Eu continuo sentimental. Continuo gostando. Continuo sentindo falta. Mas aprendi que a vida segue. Não quer dizer que parei de sentir. Só que resolvi seguir em frente.
Isso não significa que eu desisti. Significa que eu resolvi que vou continuar gostando mas não vou mais sofrer.
E sim, isso é uma indireta Senhor Vampiro Barbudo… hahahaha 😉

E a vida segue…